Documentário: As curas espirituais do professor Mozart Teixeira


SINOPSE 

Curas milagrosas do Professor Mozart, médium espírita que atendia na Estação de Recreio. Apresentado por Nóbrega da Cunha, Secretário da Sociedade Brasileira de Estudos Psíquicos. A divulgação das curas mediúnicas do Centro Espírita de Recreio era feita pelo jornal Vanguarda, através do seu jornalista Rubey Wanderley. A Estação de Recreio e sua rua "de terra, próximas às casas baixas, de um lado, e os trilhos de estrada de ferro do outro". 

O atendimento do professor Mozart de doentes que estão nos hotéis do lugar e não podem locomover-se até o Centro. Logo de manhã, os doentes já o esperam. Mas a maioria dos pacientes se concentra em frente ao Centro, sentados ou abrigados em "barraquinhas". A clientela do Professor constitui-se de doentes com os mais diversos problemas: "Tabes Dorsalis", "Tabes Spinalis" ou "encosto", paralisia parcial ou total, nefrite, "obsessão", "estado letárgico", epilepsia e "encefalite letárgica". 


Uso de linha férrea como guia para os doentes, principalmente em casos de paralisia. 

O professor realiza sucessivas sessões de curas em que os pacientes são indicados pelo seu nome, idade, procedência e endereço. 

O Professor Mozart é homenageado com um jantar no Hotel Pinho pelos jornalistas que foram à Estação de Recreio. O deputado Ribeiro Junqueira e figuras da cidade visitam o Professor. 

-----------------------------------------------------

As pessoas que tinham o dom natural da Mediunidade foram perseguidas, torturadas e assassinadas durante os cerca de 600 anos (Século XIII ao Século XIX) em que perdurou a vergonhosa Inquisição, uma mancha indelével que maculou a milenar história da Igreja Católica, que nessa época impunha-se a todos, sem exceção, inclusive monarcas e imperadores de grande poderio econômico e militar.

E mesmo durante a primeira metade do Século XX, diversas décadas depois de Allan Kardec ter codificado a Doutrina Espírita, trazendo luz e ordem no caos dos assuntos espiritualistas da época, quando então predominavam as crendices populares, superstições, mistificações, charlatanices de toda ordem, e a sempre onipresente interferência ostensiva ou dissimulada da Igreja Católica em todos os assuntos da vida civil.

Nessa época, apesar de todo o conhecimento que já se tinha sobre o assunto, produto de estudos e constatações de pesquisadores notáveis e de grande reputação, no então atrasadíssimo Brasil a Mediunidade era considerada pela Ciência como loucura.

Os médiuns eram tratados como alienados e internados em hospícios, o que em certa medida ainda continua ocorrendo na atualidade. Por outro lado os religiosos, por desinformação ou malícia mesmo, ou ainda aqueles que desconheciam o assunto, consideravam a Mediunidade como coisa demoníaca.

Ao sair da Monarquia o Brasil começou a respirar ares republicanos, assegurando aos seus cidadãos liberdades nunca antes alcançadas. A nova Constituição de então garantia liberdade de culto e de pensamento, mas por pressão da Igreja Católica (sempre ela) e de médicos alopatas o Código Civil Brasileiro de 1.890 considerava a prática do Espiritismo como Crime.

Os espíritas foram perseguidos e os locais em que se realizavam palestras e sessões mediúnicas foram apedrejados pela população católica, incentivada por padres e bispos que se empenhavam em mostrar aos seus rebanhos o lado demoníaco do Espiritismo.

Foi nesse clima conturbado que, através de um vídeo histórico gravado supostamente nos anos 1920, conhecemos as curas espirituais do Professor Mozart, médium espírita que atendia aos necessitados, gente humilde, e no mais das vezes, desvalida, em um barracão de uma estação ferroviária no pequeno município de Recreio, localizado na Zona da Mata do Estado de Minas Gerais, nas vizinhanças com o Estado do Rio de Janeiro.

Nesse vídeo ficou registrado para a posteridade:

1. A Estação de Recreio e suas ruas de terra, próximas às casas baixas, de um lado, e os trilhos de estrada de ferro do outro.

2. O atendimento do professor Mozart a doentes que ficavam hospedados em hotéis do lugar e que não podiam locomover-se até o Centro Espírita.

3. A maioria dos pacientes concentrava-se em frente ao Centro Espírita, sentados ou abrigados em barraquinhas.

4. A clientela constituía-se de doentes com os mais diversos problemas: Tabes Dorsalis, Tabes Spinalis ou encosto; paralisia parcial ou total, nefrite, obsessão, estado letárgico, epilepsia, encefalite letárgica, etc.

5. A linha férrea era usada como guia para os doentes, principalmente nos casos de paralisia das pernas.

6. O professor realizava sucessivas sessões de curas em que os pacientes eram identificados apenas pelo nome, idade, procedência e endereço.

7. Homenagem ao Professor Mozart com um jantar no Hotel Pinho pelos jornalistas que foram conhecê-lo na Estação de Recreio.

8. Personalidades da cidade e o então Deputado Ribeiro Junqueira visitando o médium.


Nota: Recebemos da própria neta do Sr. Mozart Teixeira, a Srª Flavia Tavares, importantes esclarecimentos sobre seu avô (abaixo), cujo conteúdo fazemos questão de compartilhar com nossos leitores, pelo bem da verdade e da justiça.

Esclarecimentos:


"Sou neta do Professor Mozart Teixeira e ele JAMAIS foi perseguido pela Igreja Católica, pelo contrário um dos seus melhores amigos era PADRE. Quem o perseguiu foram os políticos ligados ao Getúlio e pessoas do Conselho Nacional de Medicina. Jornalistas que o difamavam se diziam ateus e duvidavam das suas curas porque se fossem "verdadeiras seria prova de que Deus existe.. A inquisição católica foi exercida pelos Reis Católicos e tratava-se de um TRIBUNAL, que julgava crimes como acontece até hoje. Pelo visto meu avô até hoje está tendo sua imagem denegrida. Ele era muito querido pela população a maioria CATÓLICA. O espiritismo ainda estava em formação no Brasil." Flavia Tavares

Citações preferidas do Prof. Mozart: “Os médicos guerreiam-me sem razão. Eu não faço milagres. Tenho apenas fé no Criador. Nada mais. E se é certo que não posso curar todos os casos, garanto curar muitos outros que eles julgam incuráveis. Não é um desafio que lhes faço. É uma garantia que lhes dou da minha “mediunidade”.

"Miracle cures from Prof Mozart, medium ( healer) who helps people in Belo Horizonte, Minas Gerais , in the train station named Recreio. The movie is present by Nobrega da Cunha (reporter). The newspaper "Vanguarda " reports most of the cures by Rubens Wanderley a known journalist. The train station in in a place where the street has no asphalt, in one side are located several low houses, at the other are the train tracks. The consultation with the prof. Mozart by the ill people is made in some the hotels for people who can't move or walk but mostly people goes to the little downtown square waiting for the time the Prof. arrives. There are several diseases he says to be able to cure, "Tabes dorsalis and spinales", "possession", total or partial paralysis, nephritis, epilepsy and others. The sick person that cannot walk travel from faraway places by train and Prof. Mozart attends them in the hotels around the station. The Prof makes innumerous and successive sessions with the different patients, the person needs to mention name, age, where they came from and the address. On the movie we watch an invitation from some journalists and politician who came to the city to visit him. The dinner took place in Hotel Pinho and the politician Ribeiro Junqueira from Belo Horizonte also visiting the professor is in this movie."

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=_wc2iucFA1Y

Fonte do vídeo: http://www.bcc.org.br/filme/detalhe/002592

2 comentários:

  1. Sou neta do Professor Mozart Teixeira e ele JAMAIS foi perseguido pela Igreja Católica, pelo contrario ele tinha amizade com padres. Quem o perseguiu foram os políticos ligados ao Getúlio e pessoas do Conselho Nacional de Medicina. A inquisição católica foi exercida pelos Reis Católicos e tratava-se de um TRIBUNAL, que julgava crimes como acontece até hoje.
    Pelo visto meu avô até hoje está tendo sua imagem denegrida. Ele era muito querido pela população a maioria CATÓLICA. O espiritismo ainda estava em formação no Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezada Flavia Tavares, agradecemos muito pelos seus esclarecimentos, pois são de muita importância para o bem da verdade. A propósito, devido a relevância dos seus comentários, fazemos questão de agrega-los a esta postagem.
      Atenciosamente, Fraterluz.

      Excluir

Agradecemos a sua participação!